BLOG IPECONT

Confira as novidades! Se inscreva e receba notícias diariamente.




Vagas para Auxiliar de Cobrança – Varginha/MG

Publicado por Deborah em 17/10/2019 09:42:41

Número de Vagas: 2 vagas.

Requisitos: Cursando Finanças, Contabilidade, Administração, Tecnólogo em Gestão Financeira e/ou áreas correlatas.

Conhecimento em técnicas de cobrança e negociação e atendimento em Call Center;

Necessário conhecimento em Pacote Office com Excel Básico.

Ter boa comunicação e fluência verbal, pró-ativo.

Atividades:  Realizar cobrança de clientes inadimplentes através de contato telefônico e whatsapp. Negociação e acordos das parcelas em atraso e acompanhamento de seus recebimentos. Envio de boletos. Elaboração de relatórios

Local de trabalho: Centro de Varginha/MG

Horário de trabalho: segunda a sexta das 9:00 às 18:00 e aos sábados das 8:00 ás 12:00

Remuneração e benefícios: R$ 1.111,00 + vale transporte + vale alimentação ou vale refeição + plano de saúde (após período de experiência)

Interessados enviar currículo no email: [email protected] até o dia 19/10/2019.




Vaga de Emprego – Supervisor Fiscal – Santa Rita do Sapucaí

Publicado por Fabiana Carvalho em 16/10/2019 12:28:12




Oportunidade para Consultor Provalia Trainee PJ – Varginha e região

Publicado por Fabiana Carvalho em 16/10/2019 12:04:51




15 de Outubro | Dia do Professor

Publicado por Deborah em 15/10/2019 16:19:48




Boletim Semanal do IPECONT

Publicado por Deborah em 14/10/2019 17:15:16

Acompanhe as principais notícias contábeis do Brasil em tempo real!




12 de Outubro – Dia das Crianças!

Publicado por Deborah em 11/10/2019 11:44:00




Masterclass de Tecnologia IPECONT 2019

Publicado por Deborah em 10/10/2019 10:09:51

Master Class de Tecnologia Ipecont 2019 pretende ser um evento voltado para profissionais de tecnologia, gestores, decisores, empreendedores e todos aqueles que se beneficiam deste ecossistema de tecnologia e inovação. O evento busca organizar discussões e alinhar interesses, propondo um ambiente rico em desenvolvimento de ideias e soluções de problemas.

Este evento foi pensado pois entendemos que ter um setor de tecnologia ativo e alinhado aos interesses da empresa como um todo é imperativo para o seu sucesso, no entanto, as habilidades e competências deste setor, bem como o seu nível de envolvimento com as inovações e tendências do setor de tecnológica determinará o grau de sucesso deste empreendimento.

Um grupo de discussões e relacionamento dos profissionais de tecnologia, fornecedores e entusiastas tem potencial para desenvolver a região em todos os sentidos, já que o entendimento dos anseios e das oportunidades alinhados proporcionam mais força e dinamismo na solução de problemas comuns além do aproveitamento pleno de oportunidades.

Será um evento de tecnologia direcionado para os negócios, podendo gerar oportunidades, desenvolver empreendimentos, fortalecer fornecedores locais, estreitar relacionamentos, criar discussões agregadoras e sobretudo fomentar o desenvolvimento de diversos setores que se beneficiam da tecnologia na região.

Palestrantes:

  • Erick Galani Maziero
  • Marcio Henrique da Silva
  • Fernando Baldim Zanin
  • Rodrigo de Lima Cunha

Faça a sua incrição!

Inscrições pelo site:

https://www.ipecont.com.br/detalhe/masterclass-de-tecnologia

Ou pelo whatsap: (35) 9.9257-0600

https://api.whatsapp.com/send?phone=5535992570600




Nós apoiamos essa causa! OUTUBRO ROSA ♥

Publicado por Deborah em 09/10/2019 17:18:11

O LOGO do IPECONT vai mudar neste mês de outubro. O laço rosa vai ocupar nosso famoso ícone para simbolizar que nada vale mais do que a vida. O IPECONT apoia esta causa.




Denunciado vendia notas fiscais “frias” a terceiros para a sonegação de impostos

Um empresário do município de Santa Vitória, no Triângulo Mineiro, que atua no comércio de animais vivos, foi preso, preventivamente, nesta quinta-feira (26/9), por crimes contra a ordem tributária. As fraudes apuradas consistem na emissão de notas fiscais eletrônicas sem registro nos livros contábeis – com o propósito de evitar a tributação – e venda de notas fiscais “frias” para acobertar operações de terceiros.

As autuações aplicadas pela Receita Estadual, referente às irregularidades praticadas, somente entre 2014 e 2017, somam R$ 7,894 milhões, entre o imposto devido e multas.

Na quarta-feira (25/9), a Receita Estadual fez buscas administrativas em endereços vinculados à empresa investigada, onde o empresário não se encontrava. Ele, então, foi intimado a comparecer à Superintendência Regional da Fazenda de Uberlândia para acompanhar a análise do material retido. No local, o empresário teve a prisão concretizada.

De posse das informações apreendidas, serão identificadas as empresas que se beneficiaram do esquema, que também são sonegadoras, e o volume total da fraude, atualizado.

A operação que culminou na detenção do empresário, denominada “Boi de Papel”, teve a participação da Receita Estadual, do Ministério Público (MP) – por intermédio da Coordenadoria Regional da Defesa da Ordem Econômica e Tributária do Triângulo e Noroeste – e da Polícia Militar (PM).

Na denúncia elaborada pelo MP, constam indícios de, pelo menos, 19 crimes contra a ordem tributária, além de associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Investigações
As investigações do esquema tiveram início em 2017, após fiscalização da Receita Estadual. A partir da análise dos documentos apreendidos à época, foi apurado que a empresa emitiu notas fiscais “frias” para acobertar operações de venda de carne e subprodutos por terceiros. Para operar o esquema, o empresário cobrava um percentual de 0,5% a 2% sobre o valor da nota emitida.

No período de janeiro de 2014 a agosto de 2017, foram emitidas notas fiscais no valor de R$ 122,5 milhões, sem o recolhimento de tributos aos cofres estaduais. A conclusão é que se trata de uma empresa de fachada, cuja principal atividade é fornecer (vender) os documentos fiscais ideologicamente falsos, com objetivo de blindar os verdadeiros devedores dos tributos.

A operação “Boi de Papel” é mais uma atividade no âmbito do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira).

Fonte: SEF/MG




O Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração – DREI divulgou um resumo das alterações, simplificações e desburocratizações da Lei 13.874/2019 – Lei da Declaração de Direitos de Liberdade Econômica):

Resumo-Lei-Liberdade-Economica.png



IR 2020: O MEI deve declarar o Imposto de Renda ano que vem?

Publicado por Deborah em 09/10/2019 14:57:01

É muito importante estar atento(a) às obrigações mensais e anuais da categoria MEI para manter seu número de CNPJ sempre ativo. Dentre elas, está a declaração do IR de pessoa física e a Declaração Anual de Faturamento (DANS), que é exclusiva dos microempreendedores individuais

Muitos microempreendedores individuais fazem a mesma pergunta: “Como um MEI deve declarar o Imposto de Renda?”

A dúvida existe porque o MEI é uma pessoa jurídica, uma vez que possui um número de CNPJ, que, muitas vezes, se confunde com uma pessoa física. O simples fato de ser MEI não o obriga a declarar os rendimentos declarados a partir do número de CNPJ na declaração do IR de pessoa física, uma vez que há uma declaração específica para isto, a DASN. No entanto, há situações específicas em que o microempreendedor individual possui obrigações adicionais.

Qual a diferença entre a declaração de renda de pessoa física da declaração de pessoa jurídica?

Existem muitas diferenças relacionadas à legislação e regras de cada uma, mas a divergência mais importante e que deve receber atenção especial é:

  • Prazos diferentes : tanto a pessoa jurídica como a física devem declarar o IR. A primeira diferenciação para os dois é o prazo. Primeiro começam as declarações do Imposto de Renda Pessoa Física, que se inicia geralmente entre fevereiro e março e vão até o ultimo dia útil de abril. Já a declaração exclusiva do MEI começa no dia 01 de janeiro e tem prazo limite até 31 de maio.
Por que é importante cumprir os prazos da declaração do imposto de renda?

Tanto na declaração de IR de pessoa física quanto de pessoa jurídica (DASN SIMEI), há cobranças de multa por atraso na entrega, sendo a multa mínima na declaração de IR de pessoa física de R$ 165,74, até 20% do imposto devido.

Já o atraso da DASN SIMEI resulta em multa de R$50,00, ou de 2% ao mês-calendário ou fração incidentes sobre o montante dos tributos decorrentes das informações prestadas na  DASN SIMEI , que é obrigatória para todos os MEI que estão em atividade, não importando o valor do faturamento total no ano.

Os rendimentos do MEI devem constar na declaração de IR de pessoa física? 

Para estar em dia com as obrigações como pessoa física, é preciso entregar a DIRF (Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física) se você teve, em 2019, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70, ou isentos acima de R$ 40 mil.

É importante lembrar que parte dos rendimentos de um MEI é isento. Por isso, é necessário entender o cálculo antes de fazer a declaração do IRPF. A primeira referência é a faixa de isenção para as atividades previstas no MEI, calculada sobre a receita bruta. São elas:

  • 8% – Comércio, indústria e transporte de carga
  • 16% – Transporte de passageiros
  • 32% – Serviços em geral

O percentual de isenção deve ser aplicado sobre o valor bruto que você recebeu durante o ano como MEI. E o valor deve ser declarado na aba Rendimentos Isentos – Lucros e Dividendos Recebidos pelo Titular. Prestadores de serviços que receberam R$ 50 mil brutos em 2019, por exemplo, devem declarar R$ 16 mil nesta aba (R$ 50.000 x 32% = R$ 16.000).

Para calcular a faixa de renda tributável, é preciso conhecer também o lucro da empresa: basta subtrair as despesas comprovadas do valor total de rendimentos brutos. No mesmo exemplo acima, se você comprovou R$ 15 mil de despesas, lucrou R$ 35 mil (R$ 50.000 – R$ 15.000 = R$ 35.000).

 A faixa de renda tributável, portanto, é a diferença entre lucro (no exemplo acima, R$ 35.000) e Rendimentos Isentos (R$ 16.000). Nesse caso, o MEI teria R$ 19.000 de faixa tributável e estaria isento de declarar o IR como pessoa física – abaixo da faixa de R$ 28.559,70 estabelecida pelo governo.

Quais os prejuízos ao MEI se este não declarar os rendimentos no IR de pessoa física, quando necessário?

Não entrega ou omissão das informações pode trazer o ônus de  cobranças de multa por atraso na entrega sendo multa mínima na declaração de imposto de Renda física de R$ 165,74  e a não declaração da renda do MEI  até 20% do imposto devido.

Fonte: https://www.jornalcontabil.com.br/ir-2020-o-mei-deve-declarar-o-imposto-de-renda-ano-que-vem/




Boletim Semanal do IPECONT

Publicado por Deborah em 08/10/2019 11:12:26

Acompanhe as principais notícias contábeis do Brasil em tempo real!




Master Class de Tecnologia. Edição 2019

Publicado por Thiago Giovanella em 03/10/2019 09:38:35

Resumo:
Master Class pretende ser um evento voltado para profissionais de tecnologia, gestores, decisores, empreendedores e todos aqueles que se beneficiam deste ecossistema de tecnologia e inovação. Busca organizar discussões e alinhar interesses estreitando entre aqueles com interesses comuns, propondo um ambiente rico em desenvolvimento de ideias e soluções de problemas.

Data:  26 de Outubro de 2019 – das 13 às 19h

Ingresso: R$ 99,00

Agenda:

Justificativa:

Ao longo da história das corporações, não é difícil encontrar naquelas que mais se destacam a influência direta do setor de tecnologia da informação e comunicação. No desenrolar dos acontecimentos, a dependência do setor de TIC passou a ser sinônimo de sobrevivência para as empresas por impactar diretamente na gestão dos seus processos, na lucratividade e principalmente no cumprimento das obrigações.

Ter um setor de tecnologia ativo e alinhado aos interesses da empresa como um todo é imperativo para o seu sucesso, no entanto, as habilidades e competências deste setor, bem como o seu nível de envolvimento com as inovações e tendências do setor de tecnológica determinará o grau de sucesso deste empreendimento.

Um grupo de discussões e relacionamento dos profissionais de tecnologia, fornecedores e entusiastas tem potencial para desenvolver a região em todos os sentidos, já que o entendimento dos anseios e das oportunidades alinhados proporcionam mais força e dinamismo na solução de problemas comuns além do aproveitamento pleno de oportunidades.

Um evento de tecnologia direcionado para os negócios pode gerar oportunidades de negócios, desenvolver empreendimentos, fortalecer fornecedores locais, estreitar relacionamentos, criar discussões agregadoras e sobretudo fomentar o desenvolvimento de diversos setores que se beneficiam da tecnologia na região.

Público Alvo:

  • Profissionais de tecnologia;
  • Prestadores de serviços;
  • Alunos de cursos correlatos;
  • Empresas de desenvolvimento e representação de software;
  • Empresas e profissionais de telecomunicação;
  • Empreendedores;
  • Gestores;
  • Tomadores de decisão;
  • Entusiastas de tecnologia;

Participe da nossa pesquisa sobre tecnologia da informação na nossa região:

http://bit.ly/mclass2019




O relator da reforma tributária da Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), estuda incluir no parecer a desoneração da folha de pagamento das empresas que contratarem trabalhadores que ganhem entre 1 e 1,5 salário mínimo. Essas companhias teriam uma redução no imposto que pagam sobre os salários desses funcionários.

A proposta de desoneração de acordo com faixa de renda está sendo avaliada por consultores da Câmara que trabalham na equipe técnica para a elaboração do parecer da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 45 de autoria do líder do MDB, deputado Baleia Rossi (SP).

A formulação original do texto, feita pelo economista Bernard Appy, não contempla a política de redução de imposto sobre a folha, que já foi usada em outros governos sem sucesso, mas é vista pela equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, como estratégica para combater o alto número de desempregados – 12,6 milhões de brasileiros, segundo o IBGE.

Para Ribeiro, a desoneração deve ser direcionada às empresas mais intensivas em mão de obra. “O custo do emprego no Brasil é exorbitante. Com a desoneração, ajudamos as empresas a gerar mais empregos”, diz.

Os técnicos buscam alternativas de financiamento para compensar a perda na arrecadação caso a medida seja adotada. Um dos caminhos é aumentar a alíquota do Imposto de Renda para os que ganham mais, aumentando a chamada progressividade do sistema tributário brasileiro. Ou seja, fazer com que quem tem mais renda pague proporcionalmente.

A proposta tributária da Câmara acaba com três tributos federais – IPI, PIS e Cofins – e também com o ICMS (estadual) e o ISS (municipal), que incidem sobre o consumo. Cria no lugar Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), de competência de municípios, Estados e União, além de um outro imposto, sobre bens e serviços específicos, esse de competência apenas federal.

Ribeiro rechaça a percepção de que todo o setor de serviços é contra a criação do IBS por entender que haverá risco de aumento da carga tributária. Para ele, é possível fazer ajustes na PEC para mitigar o impacto para as empresas do setor, a exemplo da própria desoneração da folha.

Tema crítico

A desoneração é um dos temas mais sensíveis na discussão da reforma tributária, porque o ministro da Economia, Paulo Guedes, não conseguiu emplacar a ideia de criação de uma contribuição sobre pagamentos, nos moldes da extinta CPMF, para bancar a desoneração gradual dos encargos da folha de pagamentos. Hoje, as empresas pagam 20% do valor total dos salários dos funcionários.

A equipe econômica também busca alternativas para compensar a perda na arrecadação com a desoneração. Uma delas é aumentar a alíquota do imposto único. Desistir de ampliar a faixa de isenção de quem não paga IR e também de reduzir as alíquotas para todos está no radar.

Fonte: Época Negócios




Contabilidade segue em alta no time de carreiras promissoras

Publicado por Deborah em 01/10/2019 16:20:59

Após muitas transformações frente aos avanços tecnológicos, o mercado apresenta sinais de recuperação de confiança, reforçando a importância da contabilidade para a retomada do crescimento econômico.

De acordo com o Guia Salarial 2019, da empresa de recrutamento Robert Half, a contabilidade continua entre as carreiras mais promissoras junto com áreas como engenharia, jurídico, financeiro e recursos humanos. No entanto, a pesquisa mostra que o perfil do profissional mudou. Se antes o olhar era apenas técnico, o momento é de ofertas para perfis que possuam, além da formação qualificada, visão de negócios, dinamismo, boa comunicação e postura estratégica.

O Conselho Federal de Contabilidade e os Conselhos Regionais têm trabalhado o tema em diversos eventos de capacitação da classe. Convenções estaduais, fóruns, seminários e encontros trazem para o debate os impactos da Revolução 4.0 e a chegada da Sociedade 5.0.

Em artigo alusivo ao Dia do Contador, celebrado em 22 de setembro, o presidente do CFC, Zulmir Breda, afirma que o profissional tem expandido suas competências e ganhado novos espaços no mercado de trabalho. “Um novo horizonte de oportunidades se descortina para aqueles que se tornaram atores e protagonistas no cenário dos negócios, colaboradores e partícipes das decisões relevantes, conselheiros em todos os momentos da vida empresarial e pilares da credibilidade para as transações”.

Para ele, o profissional da contabilidade está mais completo, estratégico e analítico. Segundo o presidente, o contador tornou-se um cientista de dados “capaz de contribuir, decisivamente, com o crescimento e desenvolvimento das organizações”.

Entre outros destaques da pesquisa, a consultoria mostra que a capacitação é primordial. Recrutadores buscam profissionais preparados, com boa formação e especializações. “De fato, o contador pode considerar a quarta revolução industrial como valiosa aliada e, nesse contexto, estreitar as relações entre a profissão e a educação será fundamental para ajustar as arestas desse processo”, lembra a vice-presidente de Desenvolvimento Profissional do Conselho Federal de Contabilidade, Lucélia Lecheta.

Lecheta explica que, desde 2003, o CFC possui o Programa de Educação Profissional Continuada (PEPC), que tem como foco auxiliar na atualização e expansão dos conhecimentos e competências técnicas dos profissionais da contabilidade.

Segundo ela, em 2018, mais de 85 mil profissionais participaram de atividades pontuadas pelo Sistema CFC/CRCs. Além disso, a vice-presidente informa que é latente o crescimento da presença de voluntários nos cursos de capacitação – aqueles que não são obrigados a cumprir o programa de Educação Profissional Continuada, mas que participam para gerar conhecimento.

Atualmente, o programa conta com 925 capacitadoras ativas, que oferecem mais de 1.300 mil cursos aos profissionais da contabilidade.

“O foco no aprimoramento profissional é uma tendência entre os contadores do País e,  com o PEPC, é possível atualizar e expandir os conhecimentos e as competências técnicas, as habilidades multidisciplinares e a elevação do comportamento social, moral e ético”, conclui.

Fonte: https://cfc.org.br/noticias/contabilidade-segue-em-alta-no-time-de-carreiras-promissoras/




Vaga de Emprego – Caixa em Varginha

Publicado por Fabiana Carvalho em 01/10/2019 12:59:29

Vaga para caixa em casa de shows

Sexta das 19:00 às 02:00 e/ou Sábado das 22:00 às 07:00

Contato 35 98413 6404




Parabéns, vendedor, pelo seu dia!

Publicado por Deborah em 01/10/2019 11:26:41

Hoje, 01 de Outubro, é dia de aplaudir e parabenizar toda dedicação que você, vendedor, tem pelo seu trabalho.

O desafio diário que o move é um exemplo a ser seguido por todos. Parabéns!

#ipecont #diadovendedor #vendedor




Boletim Semanal do IPECONT

Publicado por Deborah em 01/10/2019 10:41:53

Acompanhe as principais notícias contábeis do Brasil em tempo real!







Apuração indica que atacadista na Ceasa sonegou ao menos R$ 14 milhões em vendas sem nota fiscal

A Receita Estadual de Minas Gerais, o Ministério Público e a Polícia Civil deflagraram, na manhã desta quinta-feira (19/9), a operação “Lotium” de combate à sonegação fiscal no setor de distribuição de produtos de panificação. O alvo do mandado de busca e apreensão foi um estabelecimento atacadista com atuação na Ceasa de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

A empresa comercializa produtos de padaria, como farinha, mistura para bolos e pães, macarrão e diversas outras mercadorias que têm como base o trigo. Dados iniciais apontam que a venda sem documento fiscal gerou um prejuízo de, pelo menos, R$ 14 milhões aos cofres públicos, pela falta de recolhimento do ICMS.

Apuração apontou que dois terços das vendas eram sem nota fiscal

Investigação
A apuração teve início a partir do trabalho de auditores fiscais da Receita Estadual em Montes Claros, que identificaram irregularidades na aquisição de produtos de panificação em 30 padarias na região de Diamantina, o que os levou a investigar todas as etapas de comercialização das mercadorias até que elas chegassem aos estabelecimentos varejistas. Foi constatado que o fornecedor emitia notas fiscais apenas para uma pequena parte do que vendia aos clientes.

Durante a investigação, foram encontrados diversos “orçamentos” do distribuidor nas padarias sem a existência de documento fiscal que correspondesse ao volume de mercadorias que eram informadas. Para tornar o indício ainda mais robusto, foram identificados pagamentos dos clientes para a distribuidora, no valor exato dos “orçamentos”, sempre em uma mesma conta bancária, ocultada da contabilidade da empresa.

Para que não restasse dúvidas quanto às irregularidades cometidas, a Receita Estadual interceptou  veículos de transporte com mercadorias do distribuidor, confirmando a existência de produtos sem nota fiscal nos caminhões abordados.

A ação
No período de um ano, a empresa emitiu 12.639 notas fiscais e, ao mesmo tempo, 36.462 orçamentos, demonstrando que dois terços das vendas que praticou alimentaram seu “caixa 2”.

Segundo Gilmar Barbosa, delegado fiscal da Receita Estadual em Montes Claros, um dos objetivos do cumprimento do mandado judicial de busca e apreensão “é instruir a ação do Fisco na exigência dos valores sonegados pela distribuidora e seus clientes”. “O imposto sonegado faz falta para a entrega de serviços prestados pelo Estado à população e prejudica o empresário que trabalha sério. É nosso dever combater essas irregularidades”, afirmou.

O Ministério Público, por sua vez, analisará os dados apreendidos, por meio dos promotores de Justiça vinculados ao Centro de Apoio Operacional da Ordem Econômica e Tributária (CAOET), em razão dos prejuízos que os empresários que movimentaram o esquema provocaram para os cofres de Minas Gerais, com  objetivo de restabelecer os interesses da sociedade e buscar a punição na esfera penal dos beneficiários das fraudes.

CIRA
A operação desta quinta-feira é mais uma ação desenvolvida no âmbito do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA), que busca coibir a prática de sonegação fiscal e recuperar os valores desviados dos cofres do Estado.

As ações deflagradas hoje tiveram a participação de promotores de Justiça, 17 servidores da Receita Estadual e sete policiais civis.

O nome “Lotium” – denominação científica para o joio – é uma referência à expressão “separar o joio do trigo”.

Fonte: SEF/MG

INSCREVA-SE

Receba nossas novidades em seu e-mail